Últimas Notícias
Arqueólogos mergulhadores encontram objetos de 1600 anos em Israel

Arqueólogos mergulhadores encontram objetos de 1600 anos em Israel

Estátuas de bronze e outros objetos estavam enterrados no mar, informou a Autoridade de Antiguidades de Israel

estatuas e moedas com 1600 anos

O navio naufragado foi encontrado por arqueólogos mergulhadores perto do antigo porto de Cesareia, com milhares de moedas de 1.600 anos atrás, estátuas de bronze e outros objetos .

Trata-se da maior quantidade de objetos descobertos no fundo do mar nas últimas três décadas. As relíquias foram encontradas por dois mergulhadores amadores em abril, indicou um comunicado do órgão israelense.

A descoberta inclui, além disso, âncoras de ferro, restos de âncoras de madeira e objetos que foram empregados na construção e navegação da embarcação que naufragou. A pesquisa para recuperar os objetos foi realizada nas últimas semanas por mergulhadores especializados e voluntários que usaram equipamentos avançados para desenterrar vários artefatos.

Muitos dos objetos são de bronze e se encontram em extraordinário estado de conservação. Também foram localizados fragmentos de grandes jarras que eram usadas para levar água potável para a tripulação do navio.

GRA052. JERUSALÉN, 16/05/2016.- Fotografía facilitada por la Autoridad de Antigüedades de Israel (AAI) de terrones de monedas que pesan 20 kilogramos que se encontraban en el interior de una vasija que forman parte de un pecio hallado por arqueólogos submarinistas junto al puerto antiguo de Cesárea con miles de monedas de 1.600 años, estatuas de bronce y otros objetos enterrados en el mar. El hallazgo incluye además anclas de hierro y restos de anclas de madera, además de objetos que fueron empleados en la construcción y navegación de la embarcación hundida. La investigación para recuperar los restos del cargamento fue llevada a cabo en las últimas semanas con la colaboración de submarinistas especializados y voluntarios que emplearon equipos avanzados y desenterraron numerosos artefactos que viajaban en la embarcación hundida. EFE/Clara Amit ***SÓLO USO EDITORIAL***

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma das grandes surpresas foi a descoberta de dois sacos de 20 kg com milhares de moedas que estavam no interior de uma vasilha na qual eram transportadas. Elas têm a imagem do imperador Constantino, o Grande (274-337), e de seu sucessor e rival Licinio, que governou a parte leste do Império entre 308 e 324.

De acordo com Jacob Sharvit, diretor da Unidade de Arqueologia Marinha da AII, e Dror Planer, vice-diretor do departamento, a localização e a distribuição dos artefatos no fundo do mar apontam que se trata de um grande navio mercante. Segundo os especialistas, ele possivelmente foi surpreendido por uma tempestade na entrada do porto, e afundou após se chocar com as pedras.

Sobre Paulo Roberto Machado