Últimas Notícias
IDF encerra Missão Brasil com Êxito e volta para Israel.

IDF encerra Missão Brasil com Êxito e volta para Israel.

Delegaçao Israelense foi a única ajuda internacional que o Brasil recebeu

A Delegação de especialistas israelenses concluiu sua missão no Brasil com êxito e já retornou à Israel.

136 soldados e 16 toneladas de equipamentos que fizeram a diferença nas operações de localização, busca e salvamento das vítimas de Brumadinho.

Amit Levi, de 21 anos, nasceu e vive em Israel mas sua família é brasileira. Seus avós fizeram uma surpresa e foram até Brumadinho para um jantar com a brasileira eleito símbolo da missão.

Soldados Israelenses deixaram um grande legado: humildade, simplicidade e profissionalismo. Atenciosos para com todos, entenderam o triste momento que o Brasil está vivendo e estendeu sua mão. Foi o único apoio efetivo que recebemos por parte da comunidade internacional. Nenhum outro país mandou uma delegação para cá. E isso a um custo altíssimo envolvendo transporte e alojamento.

Militares israelenses durante buscas por vítimas em Brumadinho, onde uma barragem da mineradora Vale se rompeu.

Editei este vídeo em parceria com a IDF como homenagem aos nossos irmãos israelenses que souberam estender a Mão Amiga num momento de angústia.

 

Coronel Golan Vach e o Embaixador de Israel chefiaram a delegação formada por 30 mulheres e 106 homens. A equipe é especializada em resgate durante catástrofes com uso de sonares e equipamentos de última tecnologia. Cães farejadores também vieram ao país.

O chefe da delegação de Israel que chegou a Brumadinho (MG) após o rompimento da barragem da mineradora Vale, coronel Golan Vach, disse que a prioridade, num primeiro momento, foi encontrar sobreviventes. O plano foi utilizar tecnologia israelense para detectar sinais de aparelhos celulares que permanecem ligados quase quatro dias após a tragédia. Durante coletiva de imprensa, Vach explicou que a equipe sobrevoou  nas primeiras horas da manhã. a área onde os rejeitos foram derramados. Após o reconhecimento da região, segundo ele, a delegação teve uma noção completa do que precisava ser feito.

O coronel elogiou o trabalho das forças brasileiras que trabalham quase que de forma ininterrupta. “Eles trabalham em um local muito complicado e muito perigoso.” Em um segundo momento, sonares israelenses foram utilizados na localização de corpos que permanecem submersos nos rejeitos. A tecnologia é capaz de localizar corpos que estão entre 3 e 4 metros abaixo da lama.

Presidente Bolsonaro agradeceu as Forças de Israel e publicou esse desenho nas redes sociais mostrando que Israel foi o Braço Amigo do Brasil.

Antes de embarcar de volta para Israel, a FDI foi homenageada pelos militares brasileiros em Belo Horizonte.

Sobre Paulo Roberto Machado